Héracles – O Maior de todos os Heróis (Os 12 Trabalhos de Hércules)

Héracles – O Maior de todos os Heróis

            Com o nome romanizado “Hércules”, chegam até nós suas histórias de grande heroísmo, grande sofrimento, sempre representado, além de heróico, como Glutão, Beberrão e dotado de uma apetite sexual incomparável, é um dos pouquíssimos semi-deuses ou mortais que se tornam deuses ao final de suas vidas.

           Zeus sempre se sentiu atraído pela beleza das mulheres mortais que, via de regra eram punidas por sua esposa Hera. Ao invés de Alcmene, mãe de Héracles, contudo, Hera se torna inimiga visceral do Herói e, quando ainda no berço, envia serpentes para matá-lo e há um sem-número de representações de Héracles ainda bebê sobrepujando uma ou mais serpentes.

 

Já antes de seu nascimento, Hera conspira contra Héracles! Por determinação de Zeus, em determinada data nasceria o herdeiro do trono de Micenas, data prevista para o nascimento de Héracles. Hera providencia o atrazo no nascimento de Héracles e antecipa o nascimento de seu primo, Euristeu, da mesma Casa, da mesma Família e a quem Héracles passa a subordinar-se. Enfurecido, Zeus não pode fazer nada a respeito.

         O que se narra acima acerca da vida de Héracles constava de um Poema Épico chamado “Herecléia”, hoje perdido, atribuido a Peisândro de Rodes, datando de aproximadamente 600 Anos Antes da Nossa Era. A repetição daquelas histórias entre gregos e romanos ao longo de muitos séculos nos permite conhecê-las com razoável acuidade.

Os Doze Trabalhos de Hércules (Héracles, para os gregos)

          Adulto, Héracles se casa com Mégara, filha de Creonte, tem com ela três filhos e se torna um homem feliz. Hera, ainda enfurecida com a infidelidade de Zeus, pune Héracles com uma forma irresistível de loucura, ele é levado a matar seus filhos e, no processo, segundo alguns autores, também Mégara.

           Motivo de sobra para reflexão dos Existencialistas (Jean-Paul Sartre em O Muro e Albert Camus em O Mito de Sísifo, por exemplo), embora impulsionados por deuses representativos de forças incontroláveis da Natureza ou do Inconsciente, cada ser humano é totalmente responsável por seus atos. Após um período de recolhimento entristecido, isolado e camponês, Heracles é encontrado por seu primo Teseu, que lhe recomenda ir até o Oráculo em Delfos e descobrir assim uma forma de restaurar sua Honra perdida.

          A Pitonisa lhe diz que ele deve servir como escravo a Euristeu durante doze anos e ainda que ele se tornaria imortal. Desnecessário enfatizar o quanto Héracles desprezava Euristeu, que lhe roubou o direito de nacença, o trono de Micenas. Mas ele cumpre o desiderato e é assim que têm lugar “Os Doze Trabalhos de Héracles“.

          Instruído por Hera, Euristeu incumbe Héracles dos Doze seguintes trabalhos (verdadeiramente “hercúleos”!)

 

1 – Matar o Leão de Neméia – um animal perigosíssimo que, dotado de força muito acima da normal aos leões, tinha um couro invulnerável à penetração de facas, espadas, lanças ou flexas. Héracles o sufoca até a morte e usa as próprias garras do leão para esfolá-lo, passando a usar o seu couro como proteção e esta se torna uma de suas características marcantes nas representações artísticas greco-romanas.

2 – Matar a Hidra de Lerna – um animal mitológico, serpente com corpo de dragão e 9 cabeças, uma delas parcialmente de ouro e imortal. Cada vez que se cortava uma das cabeças da Hidra, duas outras nasciam entre gases venenosos. Com a ajuda de um sobrinho, Iolau, Heracles ia cortando todas as cabeças da Hidra enquanto Iolau as cauterizava a fogo. Para ajudar a Hidra, Hera envia um Caranguejo gigantesco que Heracles mata pisoteando e Zeus o transforma na Constelação do Caranguejo (Câncer). Ao final, Heracles embebe suas flexas no sangue venenoso da Hidra, dotando-se de uma arma ainda mais poderosa para os futuros Trabalhos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

3 – Capturar a Corça de Ártemis – Animal espetacular, mais veloz que uma flexa . Afora isso, nada de especial no animal em si, exceto o perigo de instigar a ira de Ártemis, deusa da Caça e protetora de filhotes e da virgindade das donzelas. Excepcionalmente, Ártemis se apieda de Héracles (segundo pelo menos algumas versões) e, após o herói perseguir o animal por um território vastíssimo, o entrega a Heracles com a condição de que não o mate. Levada a Euristeu, que, sem saber o que fazer, solta a Corça de Ártemis novamente.

4 – Capturar o Javali de Erimanto – Animal de extrema ferocidade que aterrorizava o local, foi capturado sem grande dificuldade por Héracles após horas de perseguição. Hilariante um vaso que nos chegou dos tempos antigos, retratando Euristeu se escondendo apavorado diante do Javali capturado apresentado por um Héracles sempre vencedor.

5 – Limpar os currais de Áugias que jamais havia sido limpo durante todas as décadas em que existiu. Héracles desvia dois rios e os lava em tempo recorde.

6 – Matar as aves do lado Estínfalo – Aves com bicos, garras e pontas das asas de ferro e tão gigantescas que bloqueavam o sol, além de levar perigo constante aos viajanes: a ponta de suas asas, em particular, trazia grande perigo: eram verdadeiras flexas mortíferas! Héracles as mata uma a uma com flexas embebidas no veneno da Hidra; pouquíssimas que remanescem se vão para outros países.

 

7 – Capturar o Touro de Creta e levá-lo vivo até Euristeu – Presumivelmente o mesmo touro que o rei Minos havia prometido sacrificar a Poseidon. Minos descumpre a promessa, Poseidon pede a Afrodite que faça a esposa de Minos, Parsifae, se apaixonasse pelo Touro e, de sua união, nascesse o mitológico Minotauro, morto por Teseu, herói Ateniense – Heracles vai a Creta, captura o touro enlouquecido por Poseidon e volta a Euristeu nele montado.

8 – Captura das éguas de Diomedes – o rei da Trácia (Diomedes) e filho de Ares, deus da Guerra mantinha seus animais numa dieta exclusiva de carne humana, de adversários ou náufragos que chegassem até suas praias. Heracles soluciona a questão acalmando os animais com a carne de… Diomedes e seu séquito. Após bem alimentados, Heracles as leva docilmente até Euristeu que as encaminha a Hera

9 – Capturar o Cinturão de Hipólita, rainha das Amazonas – as Amazonas são mulheres que vivem à margem do mundo grego e representam o oposto dos valores tradicionais da sociedade patriarcal da Grécia Clássica. Excepcionalmente ferozes e exímias no cavalgar e no uso do arco-e-flexa (conta-se mesmo que extirpavam um dos seios para facilitar o deslise da corda do arco!). Há uma sutil referência sexual ao se retirar a única peça de vestimenta que mantém a vestimenta unida, mas fiquemos por aqui: Heracles domina Hipólita, captura-lhe o cinturão e o leva a Euristeu.

10 – Capturar o Gado de Gerião – Gerião era um monstro com três corpos, seis braços, seis asas e dominava tiranicamente sua região. Após muita aventura – e muita implicância de Hera… – Heracles finalmente consegue derrotar Gerião, capturar o seu gado e, apesar das enchentes enviadas por Hera a dificultar-lhe o caminho, voltar à corte de Euristeu e sacrificar o gado de Gerião à deusa…

11 – Colher os Pomos de Ouro do Jardim das Espérides – A fim de conseguir o resultado Héracles precisa da ajuda de Atlas para derrotar o Dragão de Cem Cabeças que guardava o Jardim das Hespérides. Heracles segura o Céu nos ombros enquanto o Titã derrota o dragão. De volta com os Pomos, Atlas comunica a Héracles que não tem intensão de retomar a inglória tarefa de segurar o Céu nos ombros, transferindo-o a Héracles que apela apenas por um momento para pegar o couro do Leão de Neméa com o qual aliviar o peso do Céu sobre seus ombros. Atlas segura o Céu por um instante e é a vez de Héracles agradecer penhorado e seguir viagem com os Pomos que havia ido buscar…

12 – Trazer, do mundo dos mortos, o Cão de Três Cabeças Kérberos (ou Cérbero, como ficou conhecido a partir do Latim) guardião da entrada do Hades – Hades, após alguma persuasão, se decide a consentir a ida de Kérberos até Micenas com a condição de que Héracles não usasse contra o animal nenhuma de suas armas, somente a sua força física. Héracles o faz, mais uma vez Euristeu fica apavorado diante da visão do animal infernal e ordena sua imediata liberação.

 

Héracles se transforma num Deus

          Numa de suas aventuras, o centauro (animal mitológico com torso de homem e corpo de cavalo) Nesso tentou estuprar Dejanira, a segunda esposa de Héracles que, exasperado, o mata com uma seta embebida no sangue venenoso da Hidra de Lerna. Nesso se aproxima de Dejanira, diz não guardar rancor de Héracles e sugere a ela que guarde um pouco de seu sangue para que, quando chegue o dia em que Héracles perca o interesse sexual por ela e se interesse por outra mullher, ela dê a ele o sangue para beber ou o embeba numa vestimenta que lhe cubra o corpo, trazendo assim seu desejo de volta.

           Mulheres… Dejanira, acreditando em Nesso, guarda-lhe o sangue e, quando o dia chega em que Héracles de fato começa a se interessar por outra mulher, embebe uma túnica no sangue de Nesso (“Túnica de Nesso” é uma ocorrência frequente a vestimenta envenenada na literatura ocidental, aliás) e dá a Héracles para que vista. Seu corpo começa a ser corroído – o sangue do centauro é como um dolorosíssimo ácido corrosivo, tão doloroso que Héracles prefere erguer uma Pira Funerária e se auto-imolar para que a dor seja interrompida.

            Zeus se apieda de Héracles e somente seu corpo mortal é destruído, sua PSYCHE é eleavada ao nível de divindade passando, desde aquele momento a ocupar o Olimpo tendo como última esposa Hebe, deusa da beleza e da juventude.

* O que se apresenta acima é uma versão extremamente simplificada de todas as histórias conhecidas dos deuses e heróis citados. Insisto: caso tenhas interesse em algum ponto específico mais aprofundado, por gentileza, entre em contato através do Facebook.

Lázaro Curvêlo Chaves – 20/10/2018

Leia Ainda

Gnōthi Seauton e Mēdén Ágan, inscrições eternas no Templo de Apolo, em Delfos

A Guerra de Tróia e Seus Desdobramentos para a Nossa Cultura

As Sete Maravilhas do Mundo Antigo

 

Deixe uma resposta